Em audiência pública cobramos mais testes e PBH anuncia realização em quem manteve trabalho presencial

Na data em que a Prefeitura de Belo Horizonte anunciou as regras para a retomada do comércio, reunimos na através de uma audiência pública, representantes do Legislativo Municipal, da Prefeitura e de entidades patronais da indústria, do comércio e da construção civil para debater a testagem da população de Belo Horizonte para o coronavírus. Durante a audiência, ocorrida por videoconferência, nesta sexta-feira (22/5), defendemos a aquisição de mais testes de Covid-19 pelo poder público, bem como o auxílio por parte de entidades privadas na testagem. A PBH anunciou a realização de testes para Covid-19 em profissionais que se mantêm em trabalho presencial desde o início da pandemia: caixas de supermercados, farmácias, drogarias e padarias; motoristas e agentes de bordo do sistema de transporte público coletivo de passageiros; e profissionais da saúde pública e privada. Já a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) anunciou a aquisição de milhares de testes para o novo coronavírus destinados aos profissionais da indústria. Cada teste da Fiemg tem o custo de R$ 99,00.

Um de nossos apontamentos na audiência foi que a reabertura de atividades comerciais deva acontecer juntamente com a realização de exames que detectem os níveis de proliferação do vírus. Acreditamos que Belo Horizonte será exemplo para o país se aumentar a disponibilidade de testes para Covid-19. A realização desses testes será fundamental para que a cidade passe pela pandemia com o menor desgaste possível. A realização dos exames é necessária para evitar o colapso do sistema de saúde com a retomada do comércio.

Comportamento da população é decisivo

Nos colocamos favoráveis à isenção de imposto para testes de Covid-19, de modo a baratear o exame, e defendemos que o comportamento adequado da população com a adesão às medidas de prevenção – uso de máscaras, álcool em gel, assepsia com água e sabão e isolamento – neste momento de reabertura do comércio é essencial para o controle da doença. Se a população achar que a pandemia é menos grave do que realmente é, a situação poderá se agravar.

De acordo com a PBH, as medidas a serem seguidas para a retomada gradual das atividades comerciais em Belo Horizonte estão sendo tomadas de modo a garantir a segurança dos munícipes contra a Covid-19. A Prefeitura explicou que a testagem de profissionais que trabalham no sistema de transporte público coletivo de passageiros, em supermercados, padarias, farmácias, drogarias e em unidades de saúde será periódica. O Poder Executivo salientou, ainda, que as amostras populacionais destas categorias profissionais a serem testadas seguirão critérios estatísticos. Além disso, a Prefeitura afirmou que pretende ampliar a disponibilidade de testes para a população, inclusive, com a possibilidade de, futuramente, a coleta de material para exame passar a acontecer nos centros de saúde da capital.

Indústria e comércio

Ao anunciar a aquisição de testes rápidos para profissionais da indústria, a Fiemg explicou que o objetivo é apoiar o setor por ela representado na manutenção e retomada das atividades de maneira responsável. Assim, o teste estará disponível tanto para empresas que estão em operação quanto para aquelas que irão retomar suas atividades.

O Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) afirmou que – como entidade integrante da Fiemg – está junto da Federação das Indústrias nesta testagem e declarou que os exames estarão disponíveis também para trabalhadores da construção civil. Além disso, o Sindicato explicou que tem verificado as ações que vem sendo tomadas contra a propagação do novo coronavírus nos canteiros de obras.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) também defendeu a ampliação da testagem para a detecção do novo coronavírus e afirmou que quanto mais exames forem realizados, mais duradoura será a reabertura do comércio. A entidade também explica que a reabertura das atividades comerciais estará baseada em uma “nova normalidade” com todos seguindo as medidas necessárias para que se evite a proliferação do vírus.

A Associação Comercial e Empresarial de Mina (ACMinas) defendeu, além da realização de mais testes para o novo coronavírus, a realização de campanhas educativas que demonstrem para a população a importância da adoção de medidas preventivas contra a doença. Segundo a entidade, quando as pessoas entendem porque as ações preventivas são necessárias, a adesão se torna maior.

Fonte: Superintendência de Comunicação Institucional CMBH

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado