Só metade das famílias de MG com direito a Bolsa Merenda fez cadastro necessário

Apenas metade das famílias que têm direito ao Bolsa Merenda já se cadastrou para receber o benefício em Minas Gerais. Até sexta-feira passada (22), responsáveis por cerca de 172 mil alunos tinham feito o cadastro para receber as duas primeiras parcelas do auxílio no valor de R$ 50. A situação é parecida em Belo Horizonte que até 19 de maio ainda tinha 160 mil cestas básicas para doar à população que tem direito ao benefício. A necessidade do acesso à internet para cadastro nos auxílios municipal e estadual pode ser uma barreira para algumas famílias.

Diante do quadro, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) iniciou nesta semana uma série de ações para ajudar os moradores que ainda não tinham conseguido verificar no sistema online se têm direito ou não à distribuição de alimentos. Aqueles que têm dúvidas podem telefonar para o 156, telefone de atendimento da PBH. O governo de Minas Gerais reforçou a ação de divulgação do benefício e encaminhou alertas sobre o cadastro por mensagens SMS para as famílias inscritas no CadÚnico.

A Secretaria de Governo (Segov) especificou também que decidiu mandar cartões de débito para os endereços daquelas famílias que ainda não se cadastraram. Eles serão entregues sem custo. O pagamento do auxílio começou em abril, e o programa Bolsa Merenda se estenderá por quatro meses, sendo que ao longo deles serão pagos R$ 50 às famílias cujos filhos estão matriculados na rede estadual de ensino e que se encontram em condição de extrema pobreza.

Famílias com renda per capita de até R$ 89 e aquelas inscritas no CadÚnico estão incluídas nos critérios para receber o auxílio, sendo que uma mesma família com quatro alunos matriculados na rede estadual recebe um único cartão com o crédito de R$ 200. Segundo o Estado, mais de 265 mil famílias se encontram nessas situações.

Levantamento

As regiões mais pobres de Minas Gerais são aquelas em que os beneficiários mais se cadastraram para receber o auxílio de R$ 50 até o momento. De acordo com o Estado, mais de 50% de todas as famílias que moram no Norte de Minas e que têm direito ao benefício já se cadastraram para retirá-lo. As outras regiões onde a procura é maior são o Vale do Jequitinhonha e o Vale do Mucuri. Os menores índices de cadastro estão concentrados nas regiões Sul e Zona da Mata – apenas cerca de 20% dos beneficiários retiraram o auxílio.

Como é feito o cadastro?

O prazo para recebimento da quantia prometida é de dois dias após abertura e aprovação do cadastro pelo site PagSeguro. Os cartões chegam às casas em um prazo máximo de 20 dias após o cadastro ser aprovado. De acordo com o governo, o beneficiário precisa abrir uma conta no site enviando dados como foto do RG ou CNH e selfie segurando o documento.

O cadastro pode ser feito de qualquer celular, e o Bolsa Merenda só é concedido ao responsável pelo CPF inscrito no CadÚnico. As famílias que não têm acesso à internet receberão os cartões em casa e sem necessidade de cadastro.

Veja como fazer o cadastro pelo PagSeguro:

1. Baixe o app PagBank;
2. Informe seus dados cadastrais;
3. Crie um PIN (senha) para garantir mais segurança nas transações;
4. Envie a foto do RG ou CNH do titular da conta e uma selfie segurando o documento – as fotos precisam estar nítidas para que sejam validadas.

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado